Deus reina sobre as nações

Mensagem: O poderio mundial está e cairá sob o julgamento de Deus, e o governo divino triunfará. A revelação e a convicção de que Deus reina são fontes de paz e segurança para todos os que Nele confiam e esperam.

Introdução

Recordando

Na 5ª mensagem desta série, “Visões de Deus para um tempo de crise”, Isaías 6, vimos que “em tempos de crises a visão de Deus nos transmite transformação de vida e esperança Nele”.

Refletimos sobre a visão da glória e santidade de Deus, visão da pecaminosidade do ser humano, visão da graça divina, e, visão da necessidade de Deus.

Na 6ª mensagem “Agindo positivamente em meio às crises”, Is 7 e 8, nós vimos que “Ação positiva em meio às crises é resultado da fé no Senhor”.

Na  mensagem “Cristo, esperança em meio às crises”, Isaías 9:1-7. Vimos que em “Jesus Cristo há esperança e um futuro glorioso, há visão eterna em meio às crises”.

Hoje, “Deus reina sobre as nações”.

O poderio mundial está e cairá sob o julgamento de Deus, e o governo divino triunfará. A revelação e a convicção de que Deus reina são fontes de paz e segurança para todos os que Nele confiam e esperam.

I. “A história é Sua (Deus) estória”

“Queiram vocês ou não, a história está do nosso lado. Nós enterraremos vocês”, disse Nikita Khrushchev, Premier da União Soviética, aos diplomatas ocidentais, em 18 de Novembro de 1956. Khrushchev está morto. O sistema marxista faliu, a União Soviética passou, sepultou-se a si mesma…

“Dentro de vinte anos, não haverá mais igrejas em Angola”, disse o então Presidente Agostinho Neto, em 1975. Agostinho Neto faleceu… A igreja em Angola está mais viva e forte do que antes…

Vivemos em época de eleições presidenciais no Brasil…

Em expectativa da crise na zona do euro, na Europa, e suas repercussões na economia de todo mundo…

Em 1873 houve o colapso da Bolsa de Viena, o que politicamente marcou o fim da era do Lliberalismo, o fim dos cem anos em que o “Laisses-Faire” foi o credo político dominante… O cem anos iniciados em 1776 com a “Riqueza das nações” de Adam Smith. Grandes partidos políticos que haviam marchado sob os estandartes do “progresso” e do “iluminismo” estavam recuando em todo o Ocidente. Dez anos após, o colapso da bolsa, inaugurou-se na Alemanha, “o estado do bem estar social” (hoje a Alemanha passa por uma série de cortes…). Veio a crença da “salvação pela sociedade”, abandonada mais tarde ao chegar-se a realidade de que o “governo não é mais considerado um órgão capaz de produzir uma sociedade melhor – e muito menos uma sociedade perfeita”, Peter F. Drucker, no livro “Novas Realidades”.

Estamos na era da globalização, a terra se tornou uma “aldeia global”, e isto afeta nosso modo de ser, sentir, pensar e agir.

Otávio Ianini, sociólogo, ao falar das metáforas da globalização, escreveu: “Aldeia global” sugere que, afinal, formou-se a comunidade mundial, concretizada com as realizações e as possibilidades de comunicação, informação e fabulação abertas para a eletrônica. Sugere que estão em curso a harmonização e a homogeneização progressivas… Em pouco tempo, as províncias, nações e regiões, bem como culturas e civilizações, são atravessadas e articuladas pelos sistemas de informação, comunicação e fabulação agilizados pela eletrônica. Na aldeia global, além das mercadorias convencionais, sob formas antigas e atuais, empacotam-se e vendem-se as informações… As informações, os entretenimentos e as idéias são produzidas, comercializadas e consumidas como mercadorias”.

Vivemos e acompanhamos com expectativa o que acontece em Israel e na Palestina, na Coréia do Norte, no Irã…

Vivemos o clima da copa do mundo de futebol na África do Sul, e o desempenho das nações lá representadas…

Há todo um mover histórico e da história…

Artuhr T. Pierson, missionário americano disse: “História é Sua (Deus) estória”.

II. Profecias de Isaías acerca das nações.

O poderio mundial está e cairá sob o julgamento de Deus, e o governo divino triunfará. A revelação e a convicção de que Deus reina são fontes de paz e segurança para todos os que Nele confiam e esperam.

O profeta Isaías tem sob os seus ombros um peso profético. A mensagem que recebeu da parte de Deus, para anunciar às nações é de julgamento e condenação, e resultará na destruição das nações e em morte.

“Advertência”, “sentença” – raiz significa “levantar” ou “erguer”, e assim foi traduzida como “peso” – 13:1; 14:28; 15:1; 17:1; 19:1; 21:1, 11, 13; 22:1; 23:1.

Profecia contra as nações, sendo que a profecia contra Babilônia é a mais abrangente…

Babilônia nas Escrituras simboliza o sistema que o ser humano tem construído em desafio a Deus – Exemplo, Gn 11, Babel, “portão para Deus”, “confusão”. Babilônia se origina num sistema religioso falso, na tentativa do ser humano chegar a Deus do seu próprio modo e na sua própria força.

Ninrode e Babel, Gn 10:8… Há uma lenda babilônica, a lenda da mãe e do filho…. Simeniades e Tamuz, a “rainha dos céus e Tamuz”. Israel, em vários momentos adorou a “rainha dos céus”, atribuindo poder a “mãe”,  e chorou por Tamuz – Ez 8:14; Jr 7:18; Efraim Jr 7:15 cf. Is 17:3.

O símbolo da “mãe e do filho”, em Roma se tornou “Vênus e Cupido”, e no cristianismo, com o imperador Constantino, “Maria e Jesus”.

Babilônia, seu rei estava ao serviço de Satanás, Lúcifer, o “príncipe da manhã”, “a estrela da manhã”,Isaías 14:12-14.

A estratégia de Satanás, o príncipe deste mundo, é a de imitar Jesus, 2 Coríntios 11:13-15.

Babilônia foi destruída em 689 a.C. por Senaqueribe e o exército Assírio. Foi reconstruída… Em 539 a.C. Dario o medo conquistou a cidade, Dn 5:31. Mas, mais tarde foi conquistada por Alexandre, o Grande, que tentou fazê-la a metrópole do império grego… Mas, Alexandre morreu antes que tal coisa acontecesse… Babilônia foi deteriorando, até chegar às ruínas… Há séculos as ruínas de Babilônia foram achadas…

Babilônia é tida como representante do poderio mundial, hostil a Deus. No livro de Apocalipse é chamada da “grande meretriz, a mãe das prostituições”, Ap 18:1-3, 9, 10, 19,20, 23, 24. Como aconteceu com Babilônia, Satanás um dia verá concretizada sua humilhação e derrota, fatos esses já consumados em Cristo – Salvador e Senhor, Apocalipse 19:11-21Apocalipse 20:7-10.

Deus reúne seus exércitos, 13:1-5, 17,18 (v. 17, referência aos Medos).

Deus pune e punirá as nações, 13:6-9, 11.

9:8ss e 17 e 22 , manifestação da ira de Deus contra Israel, Efraim e Jersualém; cap. 10 e 14, contra a Assíria; cap. 13 e 21, contra a Babilônia; cap. 14, Assíria; cap. 15 e 16, Moabe; cap 17, Damasco; cap. 18 e 20, Etiópia; cap. 19 e 20, Egito; cap. 23, contra Tiro; e cap. 24, “O Senhor vai arrasar a terra…”

“Castigarei o mundo por causa da sua maldade, os ímpios pela sua iniquidade. Darei fim à arrogância dos altivos e humilharei o orgulho dos cruéis”, Is 13:11 (2:11ss; 10:12ss; 16:6; 23;9; Pv 8:13; 16:18).

“Vejam! O Senhor vai arrasar a terra e devastá-la; arruinará sua superfície e espalhará seus habitantes” 24:1;

“Pavor, cova e laço os aguardam, ó habitantes da terra”, 24:17;

“A terra cambaleia como um bêbado, balança como uma cabana ao vento; tão pesada sobre ela é a culpa da sua rebelião que ela cai para nunca mais se levantar! Naquele dia o Senhor castigará os poderes em cima dos céus e os reis embaixo da terra”, 24:20,21;

“A lua ficará humilhada, e o sol, envergonhado; pois o Senhor dos exércitos reinará no monte Sião e em Jerusalém, glorioso na presença dos seus líderes”, 24:23.

O poderio mundial está e cairá sob o julgamento de Deus, e o governo divino triunfará. A revelação e a convicção de que Deus reina são fontes de paz e segurança para todos os que Nele confiam e esperam.

Conclusão

Algumas lições que podemos tirar destes capítulos:

1. Deus está no controle da história, Is 9:7.

As autoridades e todos os seres humanos precisam como o rei Nabucodonosor – “… louvei o Altíssimo; honrei e glorifiquei aquele que vive para sempre. O seu domínio é um domínio eterno; o seu reino dura de geração em geração. Todos os povos da terra são como nada diante dele. Ele age como lhe agrada… Ninguém é capaz de resistir à sua mão ou dizer-lhe: “o que fizeste?” [...] Louvo exalto e glorifico o Rei dos céus, porque tudo o que ele faz é certo, e todos os seus caminhos são justos. E ele tem poder para humilhar aqueles que vivem com arrogância”, Dn 4:34-37 (cf. Sl 2; Hc ).

Exemplo de algumas pessoas que reconheceram a soberania de Deus sobre as suas vidas: José,Gênesis 45:7-9; Noemi, Rute 1:9-22; Paulo,Atos 9:10-16cf. 2 Coríntios 1:1.

Será que confiamos que de fato Deus está no controle?Mateus 10:28-30.

Como a visão do controle, da soberania de Deus afeta nossa atitude diante das decisões tomadas por pessoas que têm autoridade sobre nós, e diante das situações da vida? Será que agimos como Nabucodonosor (Daniel 4:34-37)?

2. Deus sempre se lembra dos que Lhe são fiéis

“Um ramo sugira do tronco de Jessé…”, Is 11:1-3.

“Naquele dia as nações buscarão a Raiz de Jessé, que será como uma bandeira para os povos, e o seu lugar de descanso será glorioso”, 11:10.

“Naquele dia você dirá: “eu te louvarei, Senhor!… Tu me consolaste. Deus é a minha salvação; terei confiança e não temerei. O Senhor, sim, o Senhor é a minha força e o meu cântico; ele é a minha salvação”, Is 12:1ss (Is 14:1-3; 16:5; 19:23-25; 40:1; 66:13).

Diante da situação nacional e ou internacional, os que confiam no Senhor e vivem em sujeição a Sua vontade, debaixo do Seu domínio, estes podem e devem viver em paz, anunciando a salvação e a libertação da condenação eterna e do medo e da morte por causa do pecado, e anunciando a  alegria em Cristo Jesus, pois sabem que Deus está reinando, Ele é o Senhor da história.

Há, no meio evangélico, uma “teologia da soberania de Deus” que parece reconhecer e associar a soberania de Deus apenas as coisas más que acontecem na nossa vida… Somente, diante do desemprego, da enfermidade, da morte, temos a tendência de tentar consolar o outro, ou nos consolar dizendo: “Deus é soberano”. Tanto isso é verdade, que quando alguém vai comentar algo, e começa dizendo “Deus é soberano”, logo pensamos: “Ih, não vem coisa boa”. Será que Deus também não é soberano no emprego, na promoção profissional, na conquista, na qualidade de vida vivida etc.? Sim, Ele também é soberano e devemos reconhecer isso, Lhe dando glórias e graças.

Quando o Senhor do céu e da terra é o Seu Pai em Cristo Jesus, você não tem nada a temer. Seu governo é de plena justiça e paz. Submeta-se sem reservas ao governo de Jesus Cristo, Seu jugo é suave, Seu fardo é leve, Mt 11:28-30, e acharás descanso para a alma.

O poderio mundial está e cairá sob o julgamento de Deus, e o governo divino triunfará. A revelação e a convicção de que Deus reina são fontes de paz e segurança para todos os que Nele confiam e esperam.

 

IsaíasNova Aliança