Agindo positivamente em meio as crises

Mensagem: Ação positiva em meio às crises é resultado da fé no Senhor.

Introdução

A. Recordando

Na 5ª mensagem desta série, “Visões de Deus para um tempo de crise”, Isaías 6, vimos que “em tempos de crises a visão de Deus nos transmite transformação de vida e esperança Nele”.

B. Mensagem de hoje – “Agindo positivamente em meio às crises”.

No capítulo 7, versículo 1, estamos historicamente quando “Acaz, filho de Jotão e neto de Uzias, era rei de Judá, o rei Rezim da Síria, e Peca, filho de Remalias, rei de Israel, atacaram Jerusalém, mas não puderam vencê-la” (cf. 2 Reis 16:1-5; e, cap. 28).

Dias de Acaz…

Precisamos lembrar que o reino se dividiu após a morte do rei Salomão… Judá ao sul, e Israel ao norte…

Síria (Damasco) e Efraim ((“nome dado a todo o Reino do Norte, sendo Efraim sendo a maior das dez tribos que compunham aquela nação – Israel sem Judá. Mais tarde o nome serviu para toda a região da Samaria e da Galiléia” (Shedd)) haviam atacado Judá, mas tinham fracassado…

Provavelmente tal ataque ocorreu por Judá não ter aceitado uma aliança contra Assíria. Assim, tentaram forçar Judá a uma aliança com eles, mesmo que para isso fosse necessário invadir Judá, depor Acaz, e colocar em seu lugar o filho de Tabeel (7:6), que seria um rei fantoche, ou seja, sem direitos legais ao trono.

Nesse contexto a “casa de Davi” estava em perigo…

Há pânico, Is 7:2…

“É nesse momento que se situa a intervenção do profeta. Isaías recorda ao rei Acaz a promessa de Deus a Davi: ele lhe será fiel e a dinastia se manterá firme” (J. M. Asurmendi, p. 61).

2 Sm 7:12-17 “Quando teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus pais, então farei levantar depois de ti um dentre a tua descendência, que sair das tuas entranhas, e estabelecerei o seu reino. Este edificará uma casa ao meu nome, e eu estabelecerei para sempre o trono do seu reino. Eu lhe serei pai, e ele me será filho. E, se vier a transgredir, castigá-lo-ei com vara de homens, e com açoites de filhos de homens;  mas não retirarei dele a minha benignidade como a retirei de Saul, a quem tirei de diante de ti. A tua casa, porém, e o teu reino serão firmados para sempre diante de ti; teu trono será estabelecido para sempre. Conforme todas estas palavras, e conforme toda esta visão, assim falou Natã a Davi”.

Os capítulos 7 a 12 de Isaías têm sido chamados de livros de “Emanuel”, profecias sobre o Messias, como fonte de consolação em meio às crises e aos juízos anunciados por Deus por causa do pecado na nação – 7:12; 8:8.

Vejamos 2 características da ação vitoriosa em meio às crises…

I. Confiança absoluta em Deus.

Is 7:4-7 há um apelo à fé e confiança em Deus…

1. Aquieta-te…

“Tenha cuidado, acalme-se e não tenha medo. Que o seu coração não desanime…”, v. 4.

“Tenha cuidado”, não tome atitudes precipitadas, que desagradem a Deus.

Confie… Espere no Senhor… Is 30:15,18; 40:27-31.

“Assim diz o Soberano, o Senhor: “Não será assim, isso não acontecerá…”, v. 7.

Promessa de Deus – não haverá a queda da casa de Davi.

O plano da Síria e Efraim fracassará, vv, 8,9.

Mas, se Judá não confiar em Deus, certamente não resistirá, mas conhecerá a derrota, v. 9 – “Se vocês não ficarem firmes na fé, com certeza não resistirão”.

Se não houver fé e confiança em Deus não estareis seguros, não tereis descanso, mas ansiedade, agitação, medo, desanimo, derrota – Fp 4:5-7.

2. Não tenha medo…

“Não tenha medo”, v. 4. O medo já era sinal de fé e de confiança em Deus…

O medo faz parte da nossa natureza humana, mas temos que aprender a lidar e a superar o medo. Caso contrário o medo nos paralisará…

Is 41:8-10; Hb 11:1, 27; Mc 4:35-41.

“Que o seu coração não desanime”.

Apegue-se com fé e confiança a Deus e suas promessas.

Deus oferece a Acaz a oportunidade de um sinal, vv. 10-12.

Mas ele numa atitude de falsa piedade, diz que não quer testar Deus, o que seria mostra de incredulidade, portanto, pecar contra Deus (cf. Dt 6:16). Acaz se recusa, porque não ousa entrar no caminho da fé e confiança em Deus, tanto é que ele acaba por buscar ajuda e refúgio da Assíria atraindo a ira e o juízo de Deus. O ídolo dele se tornaria o seu próprio castigo; a Assíria de salvadora de Acaz, se tornaria a sua opressora, 7:17.

Os vv. 18-25 falam em destruição, mas nesse mesmo contexto há raios de luz em meio a todo esse anuncio de juízo e condenação divina…

Mas Deus dará um sinal – “Emanuel”, v. 14; aponta para o nascimento do Messias, Jesus Cristo, Mt 1:23ss.

Mt 1:20-25   “… José, filho de Davi, não temas receber a Maria, tua mulher, pois o que nela se gerou é do Espírito Santo;  ela dará à luz um filho, a quem chamarás JESUS; porque ele salvará o seu povo dos seus pecados. Ora, tudo isso aconteceu para que se cumprisse o que fora dito da parte do Senhor pelo profeta: Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, o qual será chamado EMANUEL, que traduzido é: Deus conosco…”.

“Emanuel” – Deus conosco, Deus presente. Nisso Acaz deveria crer, e nós devemos crer em meio às crises.

O plano das nações, dos inimigos, de Satanás etc., para nos derrotar, não terá sucesso, pois Deus está conosco – “… mesmo que façam planos não terão sucesso, pois Deus está conosco”, Is 8:10.

II. Sujeição absoluta a Deus.

“… Tome uma placa de bom tamanho e nela escreva de forma legível…”, Is 8:1.

Deus adverte e instrui:

1. Temam ao Senhor.

8:1,12, Temam o Senhor, o Todo Poderoso, e não os seres humanos, as nações…

Mt 10:28  “E não temais os que matam o corpo, e não podem matar a alma; temei antes aquele que pode fazer perecer no inferno tanto a alma como o corpo”.

Daí honra somente ao Senhor dos Exércitos, 6:15; 8:13.

Deus será “santuário” para os que confiam Nele. “Santuário”, local, entre outros, de proteção da vida, 1 Rs 1:50; local de  comunhão com Deus, paz e alegria, Sl 65:4.

Mas, Deus pode ser “pedra de tropeço” para os incrédulos, indiferente e ou rebeldes, 8:14,15. Trará ruína, laço e armadilha, morte!

“… Tome uma placa de bom tamanho e nela escreva de forma legível…”, Is 8:1.

Escreve: “Maher-Shalal-Hash-Baz”, “Rápido-Despojo-Presa-Segura”.

Está para chegar o tempo de saquear e juntar despojos. Isto ocorria após uma vitória na batalha…

8:5-8, a Assíria vai avançar em conquistas…

Isto vai ocorrer por causa do pecado, da incredulidade do povo de Deus – “desprezaram as águas de Siloé, que fluem mansamente”, Is 8:6. “Águas de Siloé”, pequena fonte, curso vagaroso… Aqui simbolizando o Reino de Deus, como sendo insignificante aos olhos humanos, mas é Todo Poderoso.

Por terem desprezado as “águas de Siloé”, Deus trará as “poderosas e devastadoras águas do Eufrates”, Is 8:7. “Eufrates” simbolizando a rei da Assíria, o reino dos homens, poderosos aos olhos humanos…

Haviam confiado no poder dos seres humanos, no poder mundial das nações, e desprezado o Deus Vivo e Verdadeiro.

2. Sujeitem-se a revelação divina.

8:16-18, aceitação da palavra de Deus pregada, anunciada, revelada…

Em meio às crises, e em todas as situações da vida, busque a palavra de Deus… “Guarde o mandamento com cuidado…”, 8:16; busque a Deus, não o conselho dos ímpios (Sl 1:1); nem os necromantes, os pais e as mães de santos, os gurus espirituais, o horóscopo, as ciganas e suas leituras das linhas das mãos…

“Não busque os mortos” (exemplo, das sessões espíritas, a invocação dos espíritos dos mortos); busque os vivos, de modo especial os discípulos de Cristo, aqueles que seguem a lei do Senhor.

Jo 8:31,32 – “Dizia, pois, Jesus aos judeus que nele creram: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos;  e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”.

Vá a “lei e aos mandamentos de Deus”, 8:20. A Bíblia palavra de Deus deve ser o único padrão absoluto e de plena confiança. Ela trará luz em meio às trevas; esperança em meio à desesperança; paz em meio à angustia e a ansiedade; segurança em meio a insegurança…

Vá à Cristo, a Sua palavra, Mt 11:28-30…

Tg 1:25  “… aquele que atenta bem para a lei perfeita, a da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer”.

Feliz aquele que medita e confia na palavra de Deus (cf. Sl 1).

Mas, haverá trevas, ruína, angústia, choro… Para todo aquele que rejeita o conselho, a palavra de Deus

Conclusão

Nossa conclusão na mensagem passada “Visão de Deus em tempos de crise” foi que “o verdadeiro discípulo de Jesus Cristo, sujeito na e da história, que cumpre os propósitos de Deus para sua vida na sua geração, é aquele que teve a visão da glória e santidade de Deus; da pecaminosidade do ser humano; da graça divina; e, da necessidade de Deus”.

  • Qual a sua crise?
  • Como está a sua visão de Deus?
  • Como tal visão tem influenciando seu estilo de vida e sua missão?

Em tempos de crises a visão de Deus nos transmite transformação de vida e esperança Nele.

Dn 6:10  “Quando Daniel soube que o edital estava assinado, entrou em sua casa, no seu quarto em cima, onde estavam abertas as janelas que davam para o lado de Jerusalém; e três vezes no dia se punha de joelhos e orava, e dava graças diante do seu Deus, como também antes costumava fazer”.

Nas horas de crise nós agimos como temos costume fazer…

Assim, dia após dia, nos momentos sem crise aprenda a confiar e a sujeitar-se completamente a Deus, e em meio às crises agirás positivamente como resultado da fé no Senhor.

Aquiete-se… Espere… Na dúvida não tome decisão nenhuma… Aja apenas com plena convicção da vontade do Senhor para a tua vida…

Não tenha medo… Deus está contigo – “Emanuel”… Confie nas promessas divinas… Promessas de direção e provisão das reais necessidades…

Tema o Senhor… Santifique e honre-O em sua vida… Obedeça-O…

Vá à palavra de Deus, creia, aproprie-se a pratique os princípios bíblicos e serás abençoado por Deus em caminhos de comunhão com Ele, paz e alegria.

Ação positiva em meio às crises é resultado da fé no Senhor.

 

IsaíasNova Aliança