Unidade para glória de Deus

Introdução

Um grande desafio – unidos para glorificar ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo (Rm 15:7).

Rm 15 está num contexto de divergências na igreja… (Cf. Rm 14:2,5). Divergências por questões de consciência, e não por questões de heresias e ou pecados não tratados…

Jesus em João 17 intercedendo pelos seus discípulos, orou em favor da unidade: “Não rogo somente por estes, mas também por aqueles que vierem a crer em mim, por intermédio da sua palavra; a fim de que todos sejam um; e como és tu, ó Pai, em mim e eu em ti, também sejam eles em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos; eu neles, e tu em mim, afim de que sejam aperfeiçoados na unidade, para que o mundo conheça que tu me enviaste e os amaste, como também amaste a mim” (Jo 17:20-23).

Nossa Missão: “Glorificar a Deus, reconciliando e aperfeiçoando vidas em Cristo”

Nossa Visão: “Igreja bíblica, vivendo e comunicando de modo relevante e contagiante a realidade de ser em Jesus Cristo – Família de Deus”.

Um grande desafio – unidos para glorificar ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo (Rm 15:7).

O apóstolo Paulo em Efésios 4 exorta-nos a nos esforçarmo-nos “diligentemente por preservar a unidade do Espírito…”. A unidade é promovida pelo Espírito Santo, nossa responsabilidade em amor é preservar para manter a unidade…

Voltando para Romanos 15, percebemos que para manter a unidade precisamos:

I. Seguir o exemplo de Jesus Cristo…

  • Jesus teve como propósito agradar o Pai, Rm 15:3 (cf. Jo 4:34; 5:30 etc.) – assim como Jesus devemos ter o propósito de agradar a Deus fazendo a sua vontade;
  • Jesus nos acolheu para glória de Deus, Rm 15:7 – assim como Jesus devemos nos acolher uns aos outros;
  • Jesus foi servo em prol da verdade para confirmar as promessas, Rm 15:8  – assim como Jesus devemos ser servos em prol da verdade…

II. Seguir na reflexão e prática da palavra de Deus, Rm 15:4

  • A palavra de Deus nos transmite paciência (perseverança, Rm 5:3) – permanecer debaixo de grande peso, pressão;
  • A palavra de Deus nos transmite consolação (encorajamento);
  • A palavra de Deus nos transmite esperança – algo que é certo, mas ainda não se realizou… Esperança baseada nas promessas claras e certas de Deus (Sl 119:81, 114).  Esperança aplicada aos nossos corações pelo Espírito Santo (Rm 15:13).

Conclusão:

Seguindo o exemplo de Jesus Cristo, a reflexão e prática da palavra de Deus vivamos em unidade:

  • Unidade verdadeira – concorde, com um só coração;
  • Unidade visível – uma só voz.

Um grande desafio – unidos para glorificar ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo (Rm 15:7).

 

Nova Aliançaigreja, unidade