Eleições políticas sob a perspectiva do Reino de Deus

No mês de Outubro, nós teremos eleições para presidente da república, governadores estaduais, senadores, e deputados estaduais e federais… Como se constata, vivemos num contexto de expectativas positivas e negativas, incertezas,  indignações, de manifestações das paixões politico-partidárias…

E, como o discípulo de Jesus Cristo deve agir neste cenário?

Jo 8.31,32: "Disse, pois, Jesus: Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos …” O discípulo de Jesus é alguém que conhece, confia e vive em total sujeição a sua palavra.

Assim sendo, o candidato ao cargo público e/ou o eleitor, sob o poder e direção do Espírito Santo, ele   deve rejeitar o que Deus  rejeita, e somente se alinhar com o que  alegra o Seu coração, resultando na glória do Seu Nome.

Concluo afirmando, sendo concorrente a um cargo eletivo e/ou votando, o discípulo de Cristo:

  1. Deve se mobilizar em orar e jejuar no Espírito Santo, para com sabedoria divina exercer a sua cidadania em  plena harmonia com os valores do Reino de Deus;

  2. Ter a convicção de que o Brasil não vive numa teocracia (a semelhança de Israel no Antigo Testamento), e logo não aspirar por um governo regido segundo as santas leis de Deus, mas aspirar por um governo o mais próximo possível dos valores divinos;

  3. Confiar na soberania, na graça e misericórdia divina, de que qualquer que forem os resultados das eleições, Deus sempre afirmará: “Eu sou Deus, e não há nenhum como eu. Desde o início faço conhecido o fim, desde tempos remotos, o que ainda virá. Digo: Meu propósito permanecerá em pé, e farei tudo o que me agrada”, Isaías 46.9,10.

No Senhor Jesus Cristo
Pr Domingos M. Alves

Domingos M. Alves