Sem combustível

Nos últimos dias vivemos um caos em nosso país. A greve dos motoristas de caminhões parou o país, uma única categoria foi capaz de parar a maioria do Brasil e prejudicar toda a nação.

Minha ideia não é defender ou não o movimento dos caminhoneiros, o que quero é pensar no que vai acontecer no mundo depois do arrebatamento da Igreja. Se um grupo não cumprindo as suas funções deixou o país à beira de um estado de calamidade, imagine quando a Igreja, que está inserida em todos os setores não estiver mais presente. O caos e a calamidade será mundial.

Paulo escrevendo aos Tessalonicenses no capítulo 4:16-17 diz: "Porque, ouvida a voz do arcanjo e ressoada a trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá do céu com grande brado, e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que estivermos vivos, seremos arrebatados com eles nas nuvens, ao encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o Senhor."

O arrebatamento da igreja é algo real e iminente, ele precede os eventos que envolvem a volta de Cristo, ninguém sabe o dia e nem a hora, o próprio Senhor Jesus disse isso em Mateus 24:42: “Portanto vigiai, pois não sabeis em que dia vem o vosso Senhor."

Nesse dia Jesus diz V.40: "Então, estando dois homens no campo, um será levado, e o outro, deixado". Isso causará um caos sem precedentes no mundo todo.

Qual deve ser a postura da igreja?

Ansiar clamando: Maranatha, vem Senhor! Vigiar para não sermos pegos de surpresa e Proclamar as boas novas do evangelho de Jesus Cristo.

A crise dos combustíveis não é nada comparada com a crise da tribulação.

Que o Senhor nos mantenha firmes até o nosso encontro com Ele.

O servo de Cristo.

Pr. Rodrigo Silva

Rodrigo Silva