Índia: perseguidos, mas não abandonados

Somos perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não destruídos.” 2 Coríntios 4.9

“Índia é o 11° colocado na Lista Mundial da Perseguição 2018. Nos últimos anos, a intensidade da perseguição e discriminação contra cristãos aumentou bastante. No país, cerca de 80% da população segue as tradições do hinduísmo, e um movimento que deseja o retorno de toda população ao hinduísmo está sendo disseminado, ele é chamado de “hinduização”.

Como resultado, o extremismo religioso cresceu muito. Nas zonas rurais e longe dos pontos turísticos, os cristãos locais enfrentam violência, isolamento social e ataques frequentes. Além disso, eles são considerados cidadãos de última classe, pois já não se encaixam no sistema de castas adotado no país - que define a posição social pelo nascimento e está diretamente ligada à religião hindu. Isso significa que homens, mulheres e crianças cristãs são menosprezados e caluniados.

De acordo com a Constituição da Índia, o país é laico e garante a liberdade de crença. Na prática, as coisas são bem diferentes. Como os vinte e nove estados indianos têm autonomia para decidir sobre questões de religião, cinco deles já adotaram a lei anticonversão, que visa oprimir aqueles que deixam o hinduísmo para seguir outra fé.

Mesmo em meio a dificuldades, existe uma igreja que persevera em seguir a Jesus. Os cristãos indianos assumem uma posição contra a opressão e continuam firmes em Cristo. Porém, eles precisam do apoio e do amor da família da fé. Por isso, no dia 27 de maio de 2018 reserve o dia para o Domingo da Igreja Perseguida!”

No próximo Domingo iremos nos juntar a milhares de cristãos brasileiros para um dia de clamor e oração, pois “assim, nossos irmãos indianos saberão que, apesar de perseguidos e abatidos, eles não foram abandonados pelo corpo de Cristo”.

Ingrid Lucindo

Ingrid Lucindo