Jesus, Senhor dos autênticos

NOVA ALIANÇA
Mensagens bíblicas
Apocalipse 3.1-6
29.10.2017
Pr. Rodrigo Silva

Apocalipse 3.1-6.

Vivemos em um mundo onde existem muitas  coisas falsas.

Produtos falsos.

Notícias falsas.

Pessoas falsas.

E infelizmente falsas igrejas.

Havia uma igreja relatada no Apocalipse que não era falsa, mas passava uma falsa ideia de quem ela era. Ela possuía a fama de estar viva, mas verdadeiramente  ela estava morta. Era a igreja de Sardes. Ela não recebe nenhum elogio.

O livro  Apocalipse tem uma ênfase em destacar Jesus como o Senhor da Igreja e mesmo ele sendo o Senhor da Igreja, em algumas  ele não era o Senhor. Não por que Ele não queria ou não podia, é que as pessoas até diziam que Ele era Senhor das suas vidas, mas na prática elas eram senhores das suas próprias vidas.

Nessa igreja a maioria das pessoas eram assim tinham uma aparência de servos de Cristo, mas na realidade  não era o que acontecia. 

O cristianismo verdadeiro só será e vividocom Cristo reinando em nossas vidas.

Quero olhar para essa igreja e fazer um teste de autenticidade em nós. Essa igreja possuía...

1.       Aparência de autentica mas na realidade falsa. V 1.

Esta igreja possuía a fama de ser viva, ativa ou como diz na versão Atualizada “o nome de viva”. As pessoas que olhavam para ela achavam que era uma boa igreja, seus frequentadores também  achavam isto, mas aos olhos do Senhor da Igreja, ela estava morta.

A cidade de Sardes era famosa e luxuosa, possuía muito  respeito.

A fama veio do passado, ela ficava situada no pé de uma colina e muito bem fortificada, isso dava uma impressão aos moradores  de que eles eram invencíveis. Realmente em toda a sua história essa cidade foi tomada poucas  vezes.  

O culto a deusa Cibele era grande. Na mitologia ela era considerada a mãe de todos os deuses, por isso possuía o poder de dar a vida.

Pode ser essa razão que essa igreja possuía esse conceito sobre ela, ser uma igreja forte e viva. E não só um conceito dela, mas das pessoas que olhavam para as obras que eles praticavam, eles possuíam uma aparência de ser uma igreja autentica.

Mas de Deus nada fica escondido, Ele sabia que aquela igreja estava morta. Jesus diz: conheço as tuas obras. E você está morto.

O termo usado aqui é o mesmo empregado para se referir a uma necrose. A  “Morte celular ou do tecido orgânico; modificações que indicam a morte de celular.”

Jesus olhava para aquela igreja e enxergava membros mortos e prejudicando o Corpo.

Qual tem sido a nossa aparência diante de Deus?

Será que vivemos da fama do passado?

Assim como um  lindo caixão era a igreja de Sardes. Por fora uma bela aparência, mas em seu interior um corpo sem vida.

·         É preciso fortalecer o pouco que resta. V. 2

Tirar a mascara de falsidade e colocar e genuína marca da vida cristã

E como Jesus sabia disto?

Ele conhece a qualidade das nossas obras. Aquela igreja possuía uma...

2.       Qualidade reprovada. V. 2

Jesus faz um exame minucioso na igreja e diz: suas obras não são perfeitas diante de Deus.

As obras daquela igreja pareciam bonitas aos olhos dos homens, mas diante de Deus foram reprovadas, elas não passaram no teste de qualidade de Deus.

Nós temos uma tendência em dizer que uma igreja viva é onde se canta muito, onde as pessoas são alegres, quando a igreja cresce numericamente... Isso até pode ser verdade, mas não é o balizador de Deus.  

Deus não vê a aparência, mas sim o coração.

Você pode ter uma bela aparência diante dos homens,  mas diante de Deus suas obras serem reprovadas.

Pensando na analogia de corpo é como uma pessoa que está aparentemente bem, mas ao fazer uma ressonância percebe que está com uma doença muito grave, que se não tratada poderá levar à morte.

Jesus olhou para este pessoal e disse: não passa. Reprovado.

Deus conhece as minhas e as suas obras, como seria a avaliação dele a seu respeito.

Faça este exame não baseado no que você acha de você, mas do que a bíblia fala a respeito das suas obras.

Uma igreja viva tem prazer em estar reunido com o Corpo vivo de Cristo.

Uma igreja viva é cheia do Espírito Santo de Deus.

Uma igreja viva, não só prega, mas vive a viva Palavra de Deus.

Uma igreja viva adora e louva ao seu Senhor Jesus que está vivo e voltará. Por isso Ele diz: se vigilante, se não virei como um ladrão.  V. 2-3.

Na história dessa cidade, como já foi dito, eles foram invadidos poucas vezes, conta a história e na primeira vez,  um soldado de Ciro o persa, entrou por uma pequena passagem que havia no muro da cidade e após isso abriu os portões para que todo o seu exercito entrasse. Isso aconteceu a noite quando eles não estavam vigiando.  

É preciso estar atento para ver se nossas obras agradam ao nosso Deus.

Assim como um presente de baixa qualidade que perece ser bom, mas quebra com facilidade, assim eram as obras  da igreja de Sardes. Não possuía o selo do INMETRO.

Uma igreja autentica é viva.

Uma igreja autentica tem obras aprovadas por Deus.

E isso Pr que ela segue um padrão, ela segue...

 

3.       Segue o manual do Seu Senhor . V. 3.

Em um único  verso Jesus dá 3 imperativos, lembre, guarde ou agarre, arrepende-se, esses eram os passos  para eles voltarem a originalidade, serem uma igreja genuinamente cristã.

Eles deveriam se lembrar do que haviam aprendido e do que estavam aprendendo. A palavra de Deus pregada é marca de uma igreja autenticamente viva.

Jesus os desafia não só a ouvir,  mas a praticar e viver a Palavra. Viver em conformidade com a Palavra de Deus é marca de uma igreja autenticamente viva.

O arrependimento é o ultimo imperativo nesse verso, mas é ele quem inicia a nossa caminhada com Cristo, é ele quem mantem um relacionamento saudável com Jesus. Arrependimento diário é marca de uma igreja autenticamente viva.

Jesus diz para eles ficarem alertas e atentos, a  mudarem logo de comportamento, pois se isto não acontece-se,  Ele iria contra eles quando menos esperassem.

Este texto possivelmente não esta falando da segunda vinda de  Cristo, mas sim de um juízo contra aquela igreja, que aconteceria sem mais aviso prévio.

Foi dessa forma que Deus fez com o povo, eles achavam que sua religiosidade era aceita por Deus e que  suas más obras não estavam sendo vistas.

O Senhor pode desmascarar aqueles que não se arrependem a qualquer momento e ai a vergonha é grande.

Existem pessoas com aparência de piedade e de serem espirituais mas no fundo estão mortas e o Senhor da vida pode vir até elas a qualquer momento, como um ladrão que não avisa quando vai chegar.

 Mas nem tudo estava perdido. V.4 -5

Haviam aqueles que não estavam contaminados, aqueles que estavam puros, eles tinham Jesus o Senhor da suas vidas, gente que sabia ser igreja autentica do Senhor Jesus.

Para esses tem promessas.

Caminhar com os seus pecados perdoados junto com o Senhor, com vestes limpas. Essas pessoas sabiam o que era isso, Sardes possuía industrias de lã e tinturarias, essa figura era um contraste com as roupas coloridas do lugar. 

A cidade de Sardes era muito promiscua, mas para os autênticos cristãos há perdão e purificação.

Ter o nome escrito no livro da vida para todo sempre. Sardes nessa época era parte do Império Romano que registrava em livros todos os moradores da cidade. Aqueles que não andassem em conformidade com o Império poderia ter seu nome retirado do livro.

Além do mais era um contraste com aqueles que foram identificados como mortos. O livro da vida é o livro dos vivos e que viverão eternamente com Cristo. Esses terão seus nomes anunciados pelo próprio Senhor Jesus. 

Então, quem tem ouvidos ouça. V.6

O cristianismo verdadeiro só se vive com Cristo reinando em nossas vidas.

Como igreja passamos no teste do nosso Senhor?

Estamos vivos ou mortos?

Nossas obras são aprovadas ou reprovadas por Deus?

Qual o manual estamos seguindo?

Não  desperdice a vida vivendo:

1. Uma vida de falsas aparências

2. Tendo as obras reprovadas por Deus

3. Seguindo os nossos próprios conselhos.