“Vida no Espírito Santo - Libertação”

"Vivendo Pela Fé" - Série em Romanos
 Pr. Domingos M. Alves
16ª Mensagem - Romanos 8 1-2
25/10/2015


“Vida no Espírito Santo - Libertação”

Romanos 8.1-2


Mensagem: Todo aquele que verdadeiramente crê em Jesus Cristo como único e suficiente Salvador, tem no poder e na direção do Espírito Santo os recursos espirituais para o viver autêntico e vitorioso, que agrada a Deus.


Introdução

Recordando

“Viver pela fé significa crer na Palavra de Deus e lhe obedecer, independentemente de que como nos sentimos, do que vemos ou de quais possam ser as consequências” (Wiersbe).

No domingo, 18/10/15, na 15ª. mensagem, refletimos sobre a “Santificação do Espírito Santo”, Romanos 8, vimos que “a habitação do Espírito Santo produz em verdadeiro cristão uma nova vida – a vida piedosa, conformada com o caráter de Cristo e que se satisfaz Nele”.

Focamos a Pessoa do Espírito Santo, e destacamos um dos ministérios do Espírito – o avivamento espiritual, a vida cheia do Espírito Santo (Nota: na 17ª. Mensagem, o nosso foco será no que é ser santo, e no processo da santificação).


A partir de hoje, durante 4 domingos, vamos refletir sobre as características da vida no Espírito, vida que refletem um cristianismo autêntico e vitorioso.


Hoje (25/10/15), 16ª. Mensagem – Libertação, 8.1-3; depois, 17ª. Mensagem – Santificação, 8.4-13; 18ª. Mensagem - Eleição e Adoção, 8.14-30; 19ª. Mensagem – Segurança e vitória, 8.28-39.


Libertação – uma das características do viver no Espírito, do viver um cristianismo autêntico e vitorioso, do viver que agrada a Deus.


Ora, o Senhor é o Espírito e onde está o Espírito do Senhor ali há liberdade, 2 Cor 3:17.

Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne... Gl 5:13.


Rm 8.8; Cl 1.9,10 - use a liberdade para viver para o inteiro agrado de Deus.


Todo aquele que verdadeiramente crê em Jesus Cristo como único e suficiente Salvador, tem no poder e na direção do Espírito Santo os recursos espirituais para o viver autêntico e vitorioso, que agrada a Deus.



I. A realidade da nossa libertação: não há mais condenação, 8.1.

“O salário do pecado é a morte...”, 6.23. Como trabalhadores do pecado a morte é o salário que merecemos... Deus paga o pecado com a morte, e Ele é justo, pois, cumpre o que é pré-determinado e prometido por Ele...

O salario do pecado é a morte... Morte espiritual, separação de Deus, Gn 3, expulsos da presença de Deus; Ef 2.1-3, mortos nos delitos e pecados...


Deus nos livra da condenação do pecado, 6.23.

Nenhuma condenação (Gr. katakrima) significa que Deus nunca vai nos condenar, por causa dos nossos pecados; Ele não vai nos condenar a eternidade, separados da comunhão com Ele.

Há aqui uma afirmação e uma promessa divina.


Nenhuma condenação há para aquele que está “em Cristo Jesus” – incoporação do verdadeiro cristão a comunhão com Cristo, ao corpo de Cristo – Igreja, 2 Co 5.17; Jo 15.5-7; 1 Co 1.9; Cl 3.3.


Você já está em Cristo Jesus? Arrependeu-se dos seus pecados, e creu Nele como único e suficiente Salvador?


A realidade da nossa libertação: não há mais condenação para os que estão em Cristo Jesus.



II. A razão da nossa libertação: justificação em Cristo Jesus, 8.1b-3.

A “lei do Espírito”, significa liberdade..

Livres da “lei do pecado e da morte”, v. 2.

Em Cristo somos libertos não somente da condenação e da escravidão do do pecado (justificação, Rm 5, 6), como também da escravidão do Lei (como nós vimos em Rm 7).

A obra do Espírito leva à plenitude da vida, e a do pecado leva à morte, a eternidade sem Deus.

A Lei Mosaica não pode nos libertar da pecado e da morte (v. 2, 7)… A Lei não provê vida e poder para o ser humano obedecer a Deus.


É em Cristo, em sua oferta pelo pecado, no Espírito que há libertação, justificação da condenação do pecado, da morte eterna.


III. A maneira da nossa libertação: substituição, 8.3.

“... Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança de carne pecaminosa ...”, 8.3.

Cristo se identificou com a nossa humanidade sem “conhecer pecado” (2 Co 5.21; Hb 4.15; 7.26).

“... Tocante ao pecado...”, 8.3 – (peri hamartias), “oferta para o pecado” (Shedd), Hb 9.27,28.


Cristo morreu a nossa morte... Rm 3.25; Is 53.5; 1 Jo 3.5.

Cristo veio sem pecado e como pessoa real… Fp 2.7.

O Salvador sofreu as consequências dos nossos pecados como nosso substituto. Ele foi “condenado” em nosso lugar; morreu a nossa morte... Assim, em Cristo não podemos ser condenados por um “crime” que já foi pago...

* Filme “Risco Duplo” (Double Jeopardy) – EUA – 1999 – Suspense – 84 minutos – Produção Leonard Goldberg – Distribuição Paramount Pictures / UIP – Diretor Bruce Beresford, com Tommy Lee Jones, Ashley Judd... Libby (Ashley Judd) é uma jovem mulher casada com Nick (Greenwood)... Suspeita do assassinato por ser a beneficiária do seguro de vida de seu marido... Libby é condenada... Ainda presa descobre que sua melhor amiga, Angie, que havia ficado com seu filho, Matty, estavam vivendo com Nick, que armou seu próprio assassinato e adotou uma nova identidade... Com ajuda de uma advogada, companheira de prisão, Libby descobre que quando ela sair da prisão, estará livre para matar Nick, porque ela não pode ser condenada duas vezes pelo mesmo crime... A problemática trazida pelo filme diz respeito a uma norma presente no ordenamento jurídico americano, bem como em outros sistemas de Common Law, qual seja, o Double Jeopardy. (Pesquisa Google).

A Bíblia afirma a segurança eterna do verdadeiro cristão, daquele que é discípulo de Jesus Cristo.

No cap. 5 a nossa segurança está no Filho, na sua morte pelos nossos pecados (1,10,11); no cap. 8 está na habitação do Espírito Santo (16,17), e no propósito Pai (28-30)... Todas as estas coisas, em benefício do que crê em Cristo, repousam no amor do Pai (38,39).



Conclusão


Libertação – uma das características do viver no Espírito, do viver um cristianismo autêntico e vitorioso, do viver que agrada a Deus.


“Nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus...”, 8.1.


Você confia nesta promessa de Deus?

Somos eternamente seguros em Cristo Jesus – Jo 10.28,29!


Se você já crê em Cristo saia daqui com um coração agradecido por Cristo ter sido condenado em seu lugar, e persiga no Espírito viver um cristianismo autêntico e vitorioso.

Se você ainda não em Cristo, você está condenado... Arrependa-se dos seus pecados, e tome a decisão de crer em Jesus Cristo como seu único e suficiente Salvador.


Ora, o Senhor é o Espírito e onde está o Espírito do Senhor ali há liberdade, 2 Cor 3:17.

Irmãos, vocês foram chamados para a liberdade. Mas não usem a liberdade para dar ocasião à vontade da carne... Gl 5:13.


Rm 8.8; Cl 1.9,10 - use a liberdade para viver para o inteiro agrado de Deus.


Todo aquele que verdadeiramente crê em Jesus Cristo como único e suficiente Salvador, tem no poder e na direção do Espírito Santo os recursos espirituais para o viver autêntico e vitorioso, que agrada a Deus.


Lembre-se:

A sua responsabilidade, debaixo da graça e capacitação divina é a de perseverante, e confiantemente aplicar os princípios e as verdades divinas que tens ouvido (Fp. 2.12,13; 1 Tm. 4.7-9; Tg. 1.22-27). Ao meditar nesta mensagem, pergunte-se:

* O que Deus quer transformar no meu modo de pensar e agir?

* Como eu posso colocar isso em prática na minha vida?

* Qual o primeiro passo que darei nessa direção (para que haja real transformação em minha vida)?


Conheça... Creia... Aproprie-se... E, pratique a verdade divina para que experimentes a vida plena que há em Jesus Cristo (João 10.10).


(Esboço desenvolvido com base no Esboço do The MacArthur NT Commentary: Romanos 1-8, US: Moody, 1991; Comentários citados e ou desenvolvidos a partir de Dr. Constable's Notes on Romans, 2012 Edition; O Espírito Santo – ativando o poder de Deus em sua vida, Billy Graham, Ed. Vida Nova; Na Dinâmica do Espírito Santo – Uma avaliação das práticas e doutrina, J.I. Packer, Ed. Vida Nova)


Pr. Domingos M. Alves domingos.a@novaalianca.com

www.novaalianca.com

Ribeirão Preto - SP

Outubro de 2015